segunda-feira, 25 de maio de 2009

Um dia da caça, outro do caça-dor

Depois de vários dias à espreita, o caçador avistou um urso grande, mirou e abateu o animal.
Ele estava pulando de alegria, quando sentiu um Tapinha no ombro.
Era um urso maior ainda, sacudindo a cabeça em sinal de desaprovação.
- Você não deveria ter feito isso - disse o urso.
Você matou um dos meus semelhantes, e agora vai ter de pagar. Prefere morrer ou ser estuprado?
Diante das circunstâncias, o caçador escolheu segunda alternativa.
Abaixou as calças e entregou-se à lascívia do animal.
O caçador sobreviveu, mas jurou vingança.
Um ano depois, voltou ao Alasca disposto a matar o urso que o violentara.
Ele avistou o animal, mirou e o abateu com um único tiro.
Logo sentiu um tapinha nas costas.
Era outro urso, muito maior do que aquele em que havia atirado, e disse:
- Você matou um dos meus semelhantes e vai ter de pagar.
Você prefere morrer ou ser estuprado por mim?
O caçador não podia acreditar naquilo! A cena se repetia!
Abaixou as calças e, jurando novamente vingança, entregou-se ao vigor daquele animal monstruoso.
No ano seguinte, sedento por uma desforra, o caçador voltou ao Alasca.
Avistou o gigantesco urso que o comera, mirou e abateu o animal com tiro certeiro... e sentiu outro tapinha nas costas.
Era um urso descomunal, que disse:
- Fala a verdade SÃO PAUILINO, você não vem aqui pra caçar, vem?

 

p.s: um leitor do blog sugeriu esta piada, disse ainda que o personagem pode ser outro. Pode trocar o URSO por qualquer outro bicho.

3 comentários:

Roberto Moraes disse...

Ha Ha Ha.... Tu andas tão engraçadinho....
okaoakoakaokaokaoka

Gisele disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaahahahhahahahahahahahahahaha morri de rir!

LF Cardoso disse...

Caaaara, como palmeirense dos bons, me parti de rir com essa!!! A vingança era só pretexto.

***** LF
www.twitter.com/lf_jornalista